Número total de visualizações de página

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

- "Está lá, é da guerra de 14'?"
- Não, aqui é da Ônzima, e ainda não chegamos lá...

Olá, camaradas e amigos da nossa 3411, tudo bem convosco e com os vossos?

Pois, de vez em quando, a pretexto de um ou outro pormenor, é sempre ocasião de se pôr a conversa em dia e o acaso, ou melhor, a necessidade de um esclarecimento póstumo a quem do assunto saberia fazê-lo, retornamos aqui ao nosso blogue que já ia cheirando a mofo. Mas como hoje é sexta feira e dia de limpeza, pusemos a casa arrumada (sobre o assunto, claro).
E vai daí, meti-me, a jeitos de Sherlock Holmes, a telefonar para alguns camaradas que me disseram e asseguraram que o nosso saudoso camarada João Andrade Júnior, falecido em 05/01/1972 - Mamma mia!... E já lá vão 44 anos, Minha Nossa!...- mais conhecido pelo cognome ou alcunha de "Apúlia", afinal era mesmo nascido numa freguesia da Camacha e como tal madeirense de gema.
Mas e a que propósito é que vem esta conversa (des)fiada, perguntarão os meus amigos? Pois.
A explicação tem a ver com um outro sítio virtual de ex-camaradas da minha cidade de nascimento e concelho de Esposende - embora, como sabem (?) eu viva em Braga - na intenção de podermos erguer um monumento aos mortos do concelho no Ultramar português - a intenção começa a ganhar volume, pelo menos de todos os ainda vivos. Acontece então que, dando uma vista de olhos à lista dos já falecidos do concelho, nada constava do tal nosso camarada Júnior "Apúlia" (vila do concelho de Esposende) o que me fez questionar sobre o assunto. E assim comecei a telefonar a a e a b e até tropecei no aniversário do nosso ex-furriel Leite, que hoje até fazia anos e eu nem sabia. Aproveitei a ocasião para o parabenizar.
Voltando ao assunto, numa primeira tentativa, com o ex-furriel Laranjeira, este assegurava-me que, supostamente, se o dito cujo era apelidado de "Apúlia" seria porque teria algo a ver com aquela vila minhota - vila do famoso Rancho do mesmo nome e do seu sargaço marítimo - ou até seria natural dali !? (puro engano, como veremos).
Os nossos camaradas Pinto e Romualdo, via telefone, acabariam por tirar-me todas as dúvidas e então já nem foi preciso fazer outras investigações - via junta da freguesia ou o pároco lá do sítio que bem podiam perscrutar todos os arquivos da altura que de apelidos Juniores e nomes e cognomes João Andrade " nicles"!...

E foi mais um episódio da telenovela "Onde pára o Júnior"?

Um R.I.P. (Resquiet In Pax) = Que Descanse em Paz) o nosso saudoso camarada.

Um abraço ao pessoal e "Até ao meu regresso",
Rei, Lino.
 

Sem comentários: