Número total de visualizações de página

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Alvados/99 - Do livro "Também eu estive lá..." de Lino Rei (ex-alfers da C.C. 3411 - Angola 71/73)


Cap. 1

 

Alvados/99

 

Alguns já com estatuto de avós:

- (…) eh, pá! Tenho lá um que é assim pequenino também - Olhando uma foto de um neto de um camarada - É mais pequenino que o teu… tem 14 meses, não fala, mas que traquinas!...

A propósito de velhos craques no futebol de salão no Songo:

- (…) porra, pá, foi pena na altura não seres vendido ao Arsenal (ao Varela, o algarvio). Este gajo era um ponta de lança do carago, era a estrela da Companhia e da nossa equipa. Eh pá, lembras-te de uma defesa que fiz que quase parti os dentes todos ? Ah que rica equipa que a malta tinha: o Ornelas (jogava p’ra raio), o Paulo, o Leite, o Mota, o “Caganeira” que só de paleio driblava o pessoal todo – Risotas; chegamos a ir a Carmona disputar as finais (…) velhos tempos!...

Ataca o Pegado, a propósito de umas noitadas ainda na Madeira:

- Ó Rei, lembras-te daquela noite no Funchal?

- Eh pá!... Isso fica no segredo dos deuses – Gargalhadas estridentes – Mas nunca contar às nossas mulheres aquilo por que passamos! Nada! Só de lembrar essa coisa… - Um olhar de soslaio às respetivas consortes, de algum dia lhes desvendarmos o segredo.

         Ao partir do bolo:

         - Como é, ninguém bate palmas? – Subtil a filmar. Eh malta, o Laranjeira está agora a cortar o Sonso do mapa. A quem vai tocar a fatia da Quivuenga? – Risota geral.

         Ainda a propósito:

         - Eh pá, isto está mesmo uma delícia!... – Interrogações na malta – ‘Inda vive na serra da Mucaba!... – Risota geral.

         A propósito de algumas calvícies já acentuadas:

         - (…) não é velhinhos que se diz, é  u-s-a-d-o-s!...

         Já ao champanhe e quando a discussão era sobre futebol:

         - Porra, pá, parece que ‘inda estás cheio de fome, carago! – Ataca o Couto que já havia desabafado quase meia comissão de serviço e que tinha tido o baptismo de mato no meu pelotão – Estás tu e o Benfica… bebe que p´ró ano há mais!... Já temos o tetra, o penta e o hexa vem já a seguir ! – Assobiadelas nas hostes adversárias.

         Nas despedidas – discurso do Beja:

         - (…) faltou ainda o camarada Sousa, de Lagos, dada a distância e o facto de andar em hemodiálise três dias por semana mas manda um abraço à malta (…).

         - (…) P´ró ano, vamos ver se o encontro é na Madeira, vamos pôr o Calisto a tratar do assunto da TAP p´rá coisa ficar mais em conta (…).

         Logo um outro no meio de um café:

         - Nossa, meu, não me ponhas à beira do Sousa senão fico sem comida! – Gargalhada geral.

         Ainda a organização, a cargo do Laranjeira:

         - (…) Quero recordar três nomes: o caso do furriel Basso, o caso do motorista “Apúlia”, o caso do furriel Cunha e, como não podia deixar de ser, o nosso malogrado capitão Pinto de Morais. São quatro pessoas que no fundo vamos congregar e recordar neste nosso encontro. Solicito a todos um minuto de silêncio em homenagem a estes camaradas falecidos – Silêncio prolongado com uma ou outra lágrima a disfarçar a emoção do momento. Desejo um bom regresso às casas de cada um. Até ao ano.

         Seguem-se as despedidas com abraços a cada um em particular e saudações aos respectivos familiares.